CURSO LIVRE DE PRODUÇÃO PARA RÁDIO POPULAR E PODCAST: AULA 03 – ROTEIRO RADIOFÔNICO E TÉCNICAS DE LOCUÇÃO

CURSO LIVRE – PRODUÇÃO DE ÁUDIO DIGITAL PARA RÁDIO POPULAR E PODCASTAULA 03# ROTEIRO RADIOFÔNICO E TÉCNICAS DE LOCUÇÃO

Com Angelo Madson Tupinambá

Insitituto Idade Midia .Org

IMTV

Salve todos nós na teia de povos e comunidades tradicionais!

Eu sou Angelo Madson Tupinambá, de Maery – Belém do Pará. Midiativista e fundador do instituto idade mídia – comunicação para cidadania. Estou aqui a convite da teia dos povos para apresentar este mini curso divididos em 3 vídeo aula falando sobre o processo de criação de áudio para rádio e podcast.

Chegamos na terceira e última parte desta jornada pela linguagem radiofônica e o tema desta videoaula é a elaboração de roteiro e técnicas de locução.

Elaboração de Roteiro e Técnicas de Locução

A ELABORAÇÃO DO ROTEIRO RADIOFÔNICO é a arte de escrever para o ouvido. A criação do roteiro de áudio, também chamado script ou espelho é uma ferramenta do processo de produção de rádio ou podcast. É uma descrição dos eventos sonoros do programa.

A página do roteiro se chama lauda. Indica-se escrever em fonte times, verdana ou arial, tamanho 14, com espaçamento duplo de linhas. Usamos / barra simples para indicar o fim de um período ou frase e usamos // barras duplas para indicar uma pausa maior na locução ou dar ênfase no final de do texto.

A pontuação para o rádio serve para associar a expressão da ideia com a sua unidade sonora, a fala. As frases devem começar diretamente na margem da lauda. Não usamos tabulação no início dos parágrafos.

O roteiro começa com o cabeçalho, com as informações de exibição e ficha técnica de produção. A roteirização de um programa de rádio ou podcast se desenvolve em duas colunas conjuntas de atuação: técnica e texto.

A coluna técnica exibe as informações de sonoplastia, trilha e efeitos sonoros, backinground e os demais recursos técnicos do programa. A coluna de texto apresenta a fala dos locutores apresentadores.

Na radiofonia, a coluna técnica trabalha a sonoridade (trilhas e efeitos sonoros) a coluna de texto trabalha a oralidade (som fonético). Técnica e texto. Sonoridade e oralidade. Na lauda radiofônica a oralidade é indicada pelo termo LOC (abreviatura de locução). E a sonoridade é indicada pelo termo TEC (abreviatura de técnica), pois indica as ações de sonoplastia desempenhadas pelo operador de áudio (o antigo sonoplasta).

Os elementos da sonoplastia são a música, a trilha sonora (que é o recorte da peça musical original) e os efeitos sonoros. Quando a música ou trilha aparecem como pano de fundo de uma locução se escreve na lauda radiofônica o termo BG (sigla de background ou pano de fundo). Na coluna técnica escrevemos a indicação das vinhetas, anúncios ou intervalos.

Quando começa a música se escreve sobe o som e desce o som para indicar encerramento. Se vai começar uma locução com fundo escrevemos vai à BG.

Em relação ao texto ou oralidade: use frases curtas, de fácil entendimento público. Use linguagem simples, coloquial, como uma conversa franca e amistosa de forma pessoal e individual. Quem apresenta fala: você que está ligado no programa e não vocês que estão ligados… É o chamado “o outro eu” entendeu?

No texto, usamos bastante o estilo telegráfico chamado “:”. E funciona assim. (aspas) “esporte é cultura (dois pontos) professores ensinam crianças no museu do futebol”. Evite a cacofonia ou junção dos cacos de fonemas, por exemplo: ela tinha, por cada ou boca dela. Não diga apenas a sigla, fale por extenso. Por exemplo: o INCRA – instituto nacional de colonização e reforma agrária abre chamada pública.

Os símbolos devem ser escritos por extenso ou seja: por cento, quilômetros quadrados, vigésimo terceiro… Ok? Para o ouvinte pode parecer impreciso acompanhar números no rádio. Então ao invés de 5.973 podemos dizer cerca de 6 mil. Mas evite esse recurso com números pequenos pois: cerca de 6 pessoas, fica bem estranho! Não acha?

A pauta é um tipo de roteiro que traz os principais assuntos ou temas abordados no programa ou reportagem. Ela contém um resumo do que deve ser apurado, levantado ou pesquisado e faz indicações básicas como: pessoas a serem ouvidas, um contato com essas pessoas (telefone, endereço) e um resumo do assunto a ser tratado.

A pauta pode sugerir pontos que devem ser tratados na reportagem, como perguntas básicas e possibilidades de abordagem. A pauta é a “semente” da matéria. Mas, é uma orientação, uma base para o trabalho do comunicador e comunicadora… Para que compreendam o encaminhamento que deve ser dado à matéria.

Quando escrever o roteiro da matéria jornalística utilize a técnica da pirâmide invertida ou lead, faça isso com respostas para as perguntas bases do fato que é notícia: o que? Quem? Onde? Quando? Como? Porque?

O roteiro fechado ou roteiro de ferro é aquele que determina todos os sons a serem emitidos, impedindo deste modo a improvisação do locutor no momento da emissão ou gravação do programa.

Aberto é aquele que permite maior flexibilidade na apresentação do programa pelo locutor ou locutora e permite que se façam improvisações. Este é o modelo mais adaptado na radiodifusão. Nele são indicados apenas o uso da música ou efeitos sonoros, mas sem determiná-los com exatidão.

Para elaborar um bom roteiro ou script inicie o trabalho com vasta pesquisa leia bastante, assista outras obras, ouça diversas produções e organize as referências bibliográficas.

Faça um rascunho do roteiro, também chamado esqueleto. Dividida em três partes fundamentais.

A abertura ou introdução, o desenvolvimento, que é a maior parte do tema e o encerramento do programa.

Depois que temos um roteiro de programa de rádio, o próximo passo no processo de produção é a gravação de off, que é a locução radiofônica sem efeitos. Pois, off significa efeitos sonoplasticos desativados. Apenas a oralidade!

No entanto, para nosso curso de comunicação popular é a expressão e manifesto da fala, pensamento e o modo como cada um fala é identidade. Sempre é importante adquirir novas habilidades e competências tanto para a elaboração do roteiro e a locução radiofônica. Mas ninguém deve ser obrigado a seguir normas técnicas ou gramaticais. O modo como o grupo fala é legitimo e deve fazer parte do texto.

Técnicas de locução.

A respiração é a base de todas técnicas de locução. Pois o fluxo de ar que nos mantém vivos também é o responsável pelo aparelho humano de fala. Então pra começar a treinar sua respiração em todos os órgãos da fala. Desde já, indicamos exercícios de respiração e condicionamento vocal diariamente ou na maior frequência possível.

A prática de exercícios respiratórios fortalece corpo, revigora a voz e harmoniza a mente. Podendo ajudar no controle da ansiedade, tensões ou estresse.

A técnica de respiração diafragmática ou abdominal, também conhecida como respiração profunda ou ideal é a mais adequada para atividade de locução, porque expande o diafragma e leva o oxigênio até o abdômen, aumentando a capacidade volumétrica dos pulmões // a respiração lenta e profunda trabalha toda musculatura abdominal e costo-diafragmático; garantindo controle da fala, flexibilidade e capacidade respiratória para o tempo máximo fonatório; sem esforço, com calma e precisão.

Além dos exercícios de respiração, outra etapa importante na preparação vocal é o aquecimento. Pois, da mesma forma como atletas aquecem a musculatura do corpo, também devemos aquecer a musculatura do aparelho fonético.

E aí, existem diversas técnicas e exercícios de aquecimento vocal, como movimentos de relaxamento, de sibilação, fono articulação, limpeza das cordas vocais, musculatura da língua, etc…

Exercícios de articulação, ajudam a explorar áreas de ressonância para destacar a beleza da voz, usando tons graves e médios. A boa articulação da fala é vital para impostação da voz.

Uma articulação correta trabalha a abertura adequada da boca (lábios, língua, musculatura da face, dentes) para emissão perfeita vogal ou consoante.

Existem diversos exercícios para correções relacionadas a velocidade de voz ou lentidão. Como ler um texto em tom grave, depois em tom mais agudo e ir procurando ouvir os diferentes modos de pronunciar.

Esse exercício permite aumentar a capacidade de perceber diferentes formas emissões vocais e compreender a nossa. Própria fala.

Para correção da velocidade excessiva, podes ouvir a gravação da tua própria voz depois ir verificando a diferença no prolongamento dos sons ou pausas entre as palavras.

Já os exercícios para aumentar a velocidade da voz: podes ler poesia ou leitura dramática com mais ações, emoções e tensão. A quanto tempo tu não brincas de trava língua? (isso é um excelente exercício de dicção aliás…

Enfim, o rádio popular é fala, texto, escrita, leitura e letramento. E seja para educar, informar ou mobilizar a oralidade e sonoridade formam a nossa linguagem para fazer do rádio ou podcast instrumentos de expressão de luta pela construção do poder popular. então respire profundamente e liberte a sua voz.

Manifeste o pensamento e organize a resistência!

O ar é fala. A comunicação é afeto.

O curso é livre. Não paga nada! Se puder, ajude o Instituto Idade Mídia.

Faz um PIX – idademedi@gmail.com – CPF: 665.585.812-72

Caixa Econômica Federal

Agência: 0022

Conta Bancária: 00017203-0

Operação: 023 (Caixa Fácil)

*Pode haver limite diário: Programar.

Banpará – Banco do Pará

Agência: 0011Conta Bancária: 000207425-7

Idade Mídia e IMTV, Belém, 2021. Produzido para formação de comunicadorxs populares nos território da Rede Teia dos Povos e Comunidades Tradicionais.



Categorias:Sem categoria

%d blogueiros gostam disto: